Quem Somos

O Partido Conservador (PaCo) deseja surgir com os esforços da população brasileira de direita, para se opor a dominância de partidos de cunho socialista ou social democrata. Sabe-se hoje que a maioria dos políticos brasileiros estão impregnados por ideologias de esquerda, até mesmo aqueles que se autodefinem “direita” deveriam ser qualificados como centro-esquerda.

Observando essa hegemonia política com oposições fingidas, que mais parece com uma estratégia das tesouras¹, nasceu o Partido Conservador (PaCo) buscando o resgate da natureza capitalista do homem e dos valores da religião judaico-cristã.

Lutamos pela conservação do direito de propriedade, pela liberdade e a vida desde a concepção até a morte natural. Somos defensores da democracia, do voto distrital, da autonomia de estados e municípios, da economia capitalista baseada na livre iniciativa e de um estado mínimo que não regulamente o mercado, mas apenas seja mais um participante dele.

Vislumbramos um plano de governo que melhore a educação, saúde e segurança pública.

Buscamos a eliminação de impostos declaratórios e progressivos, bem como da diminuição da dívida pública até extingui-la.

Repudiamos COMUNISMO, FASCISMO e SOCIALISMO. Somos contra tais ideologias por serem reflexões de um estado totalitário que busca o coletivismo e a desvalorização da individualidade do ser humano.

Nosso Presidente fundador Edson Navarro é advogado, engenheiro civil e mestre em economia. Já trabalhou como consultor da OEA (Organização dos Estados Americanos), foi Diretor de Obras e de Urbanismo de cidades satélites de Brasília, Gestor Governamental do Ministério do Planejamento, Engenheiro da Caixa Econômica Federal e Analista da Controladoria Geral da União no Paraná. Aposentou-se como Auditor de Obras do Tribunal de Contas da União. Com um curriculum mais que satisfatório para conduzir a constituição de um partido, Navarro trabalha e estuda assuntos urbanos desde 1977.

Atualmente o Partido Conservador (PaCo) possui autorização de acordo com o art. 9° da Resolução TSE n° 23.282 para coletar assinaturas. Procuramos apoiadores e membros que desejam constituir um novo Brasil.

1- “Estratégia das tesouras”: consiste em fazer com que a ala aparentemente inofensiva do movimento apareça como única alternativa à revolução marxista, ocupando o espaço da direita de modo que esta, picotada entre duas lâminas, acabe por desaparecer. A oposição tradicional de direita e esquerda é então substituída pela divisão interna da esquerda, de modo que a completa homogeneinização socialista da opinião pública é obtida sem nenhuma ruptura aparente da normalidade. A discussão da esquerda com a própria esquerda, sendo a única que resta, torna-se um simulacro verossímil da competição democrática e é exibida como prova de que tudo está na mais perfeita ordem. fonte: http://www.olavodecarvalho.org/semana/08032002globo.htm